Resenha - Cidades de Papel - John Green por Matheus

Postado por Matheus Miranda Souza









Quentin Jacobsen tem uma paixão platônica pela magnífica vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman. Até que em um cinco de maio que poderia ter sido outro dia qualquer, ela invade sua vida pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Quentin vai para a escola e então descobre que o paradeiro da sempre enigmática Margo é agora um mistério. No entanto, ele logo encontra pistas e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Quentin se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele achava que conhecia.


♥ NOTA






♥ Informações

ISBN: 9788580573749
Editora: Intrínseca
Páginas: 368
Ano de Lançamento: 2013

♥ Skoob

♥ Comprar

SaraivaFnac | Submarino | Americanas | Compare preços

♥ RESENHA

Qualquer leitor desse santa pessoa sabe o quanto eu amo John Green... Já foram resenhas e resenhas de suas obras. Então ao saber de Cidades de Papel, eu tinha que ler. Uma coisa engraçada que muitos não sabem: quem resenha tem o hábito de pensar na resenha enquanto lê o livro. Então eu li o primeiro capitulo e disse: Não, Não de jeito nenhum isso é livro de John Green...

Cidades de Papel começa um dia antes de toda a ação. Vemos Quentin (Q) no dia de aula. Ele é a personagem adolescente mais difícil de classificar que eu já vi (Por isso eu amo John Green). Ele é o nerd, que tem amigos que namoram, e tem vida social, ou seja, é muito estranho. E então temos Margo Roth Spiegelman. Ela é popular, mas nunca é classificada como vilã, ou algo assim. Além do mais ela já foi a melhor amiga de Q.

Daí temos a fatídica noite em que os dois saem atrás de vingança. Imaginar tal cena foi engraçadíssima, além de que eu me senti nostálgico em relação à outro livro: As vantagens de ser invisível. Margo se mostra mais enigmática do que eu esperava, falando hora em palavras, hora em metáforas, além das desconhecidíssimas Cidades de Papel. Esse é o ponto onde eu deixo vocês lerem...

Quanto aos personagens, eles são clichês de John Green. Sempre enigmáticos demais, interessantes demais, complexos demais.

Então você leitor me pergunta: Matheus, como você começa xingando o livro e dá nota 5???
Fácil, porque depois da fatídica noite, o livro é emocionante, contagiante e mais alguns "ante"
Para quem já leu: Agloe existe realmente.

Os direitos de filme já foram comprado, lançamento previsto para 2015... Té mais





6 comentários:

Comentários
6 Comentários
  1. Oie :)

    Eu vou comprar esse livro amanha e estou extremamente empolgado hahahaha,pela sua resenha o livro é bom mesmo, eu acho que muitos nerds tem vida social, beijos !!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/ ( comenta lá : )

    ResponderExcluir
  2. Estou completamente louca para ler esse livro *-*

    ResponderExcluir
  3. Matheus,

    Eu nunca li um livro sequer do John Green. Nunca me interesso apesar de tantas resenhas positivas de cada obra do autor! A sua resenha instiga a que eu leia, mas sempre acabo comprando outros livros e deixando para depois! :)

    Beijos

    Booklover

    ResponderExcluir
  4. Que bom que vc gostou, parabéns pela leitura e resenha.
    Ainda não li nada desse autor mas só escuto mega elogios. assim que eu tiver oportunidade lerei.

    Leituras, vida e paixões.

    p.s. Obrigada pelos comentários lá no blog.

    ResponderExcluir
  5. Preciso ler esse livro, li A Culpa é das Estrelas e simplesmente me apaixonei pelo John Green!!!!

    http://tudeumpoucomais.blogspot.com.br/ ( Passa lá :) )

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...